15 de agosto de 2017

A importância de um Like!

Alguém já te "mendigou um like"? Se você é um usuário assíduo da internet, eu posso apostar que já. Especialmente no Facebook, no Instagram e no YouTube esse pedido é repetido com frequência.

Like / curtir / gostar

O fato é que a expressão que não existia antes do século XXI passou a ser muito usada ultimamente e, se você ainda não refletiu sobre ela, quero te propor uma análise agora. É rápido e nós vamos por partes, feito Jack estripador.

Para agilizar ainda mais a reflexão, as partes 1 e 2 a gente mata. Vamos falar só do YouTube... Isso porque, além de ser onde mais se mendiga o like de forma direta, ao contrário de Facebook e Instagram, é uma rede de conteúdo onde só os fortes sobrevivem. 

No YouTube os seguidores esperam conteúdo. Ver um vídeo é mais demorado do que ler uma frase ou ver uma foto, e ninguém gosta de gastar tempo à toa. Um vídeo que não provoca reflexão, precisa pelo menos te dar um sorriso ou minutos de nostalgia, uma informação, matar uma curiosidade... Qualquer coisa que justifique a atenção. Lá, ao contrário do Facebook, não estão "amigos", mas telespectadores / consumidores da sua obra. 

O criador de conteúdo consciente dessa missão não envia qualquer coisa. Logo, se ele não envia qualquer coisa, ele tem trabalho. Se esforça pra comprar uma câmera de qualidade, investe num bom gravador de voz, tem computadores além do básico para manipular seus pesados arquivos de vídeo. Consome algumas horas de seu tempo reciclando as habilidades de edição, pesquisando tendências, oferecendo novidade.

E para que ele saiba que você aprovou esse esforço, nada melhor que ofertá-lo um "Like", apertar no dedinho pra cima e deixá-lo saber que você gostou ou ao menos entendeu aquela dedicação. Além disso, é pelo seu "gostar" que o vídeo acumula pontos para ser recomendado a outras pessoas. E o acúmulo de cliques pode levar seu produtor a um dia, quem sabe, até ganhar algum dinheiro e ter mais recurso e estímulo para gravar mais e melhor.

O YouTube é exigente para quem produz e para quem assiste. Portanto, nada melhor que um ajudar o outro. É a rede social estritamente de conteúdo, ao contrário de Insta e Face...

Apontar a câmera do celular pra algum lugar ou para si mesmo (self), depois dar dois toques na tela e compartilhar, talvez só não seja mais fácil do que escrever "bom dia" num fundo colorido automático e clicar em postar. Com esse tipo de "esforço" já se dá conta de um perfil (meio medíocre, é verdade) nas redes de Zuckerberg. 

A quem decidiu sobreviver no YouTube como um produtor de CONTEÚDO, seu like é muito importante. Por isso vos peço: sejais bondoso(a) e ao visitar-me em joaorocha.com/youtube (nosso humilde canal) não saias sem dar-me tua força, mendigo-vos um "like" e vos agradeço.

E se quiseres saber como me comporto em outras redes, estou também no Facebook, Instagram e Twitter. Não tenho compromisso em seguir por seguir, curtir por curtir, mas, tal como no YouTube, costumo postar para provocar reações. E de um modo ou cedo ou tarde interajo com quem me contacta.

Obrigado pela leitura!

Att.
João(Johnny) Rocha