27 de fevereiro de 2015

Furtos do dia a dia

Oi! Vou explicar tim-tim por tim-tim como algumas empresas de telecomunicação já tentaram (e algumas vezes conseguiram) me roubar. Uma me levou do céu ao inferno em questão de horas, bastou decidir cancelar o plano de TV assinada. Outras me causaram problemas com internet e, claro, algumas me prestaram mal serviço de telefonia.



Vamos começar pela Oi... A primeira empresa com a qual eu criei vínculos utilizando meu nome e CPF. Foi com ela que eu comecei a usar telefones fixo e móvel, além da internet Velox.

Como a Oi me passou a perna? Através de mentiras, serviços limitados em qualidade e contas exorbitantes. Por uma internet banda larga de 1mb, me cobrava a bagatela de 79,90, fora a conta de telefone móvel! Tudo bem, não fosse o fato dela estar oferecendo em propagandas naquela época o serviço da Velox com 5mb por apenas 39,90. E quando eu liguei para questionar, a alegação foi de que o "armário da minha região não comportava velocidades superiores a 1mb". Portanto, meu plano não poderia ser alterado.

Até ali, não existia concorrência. Nem a net nem a GVT ofereciam cobertura na minha região. Assim que a Net chegou, oferecendo 10mb por 44,90, eu liguei para cancelar o serviço da Oi, que de pronto me ofereceu os 10mb que eu contrataria da Net. E o Armário?! Pela falta de respeito, cancelei tudo que a Oi me oferecia, de móvel pré pago a internet, adeus!



Uma vez cliente da Net, passei a usar os serviços de telefone fixo e internet, já que TV por assinatura eu tinha Sky. E estava no céu mesmo, o serviço era bom! Mas a Net insistiu tanto para que eu fizesse o combo, que numa dessas eles me ofereceram 3 meses de degustação com todos os canais liberados, sem qualquer custo adicional na conta que eu pagava de internet e telefone, aí eu aceitei :) Liguei para cancelar a Sky. Pronto... Começou o suplício!

A Sky não é boa de atender no 106 11. E quando atende, eles não são bons de cancelar. Após muitas tentativas, disseram que eu não iria gostar da Net assim como gostava da Sky e, para que eu comprovasse e voltasse com eles, deixariam minha conta "congelada" por 4 meses (sem sinal, sem faturas) para que eu degustasse a Net. Mas ao notar que a Sky era melhor, era só ligar e reativar o serviço, com os mesmos "privilégios" de um cliente antigo. Achei ótimo! Mandei então congelar e anotei o protocolo.



Tudo certo... Estava eu pronto para degustar 3 meses grátis da TV Net e passar mais uns 3 sem pagar a Sky. Só que no mês seguinte, surpresa... Ambas me mandaram contas! A Net não cumpriu o acordo de degustação e cobrou dobrado em relação à conta que eu tinha até então, enquanto a Sky me mandou uma conta 30% mais cara inclusive do que era antes (quando nem deveria mandar conta nenhuma).

Lá se foi meu orçamento, esfarelado pelas contas não planejadas, lá se foi meu sossego, horas e dias de busca de direitos, meses passando, contas chegando... Precisei cancelar as duas em definitivo, fiquei sem TV a cabo e passei 2 meses até conseguir provar, com a ajuda do Procon, que eu fazia jus à devolução de cobranças indevidas. Ambas, Sky e Net, entraram em acordo e me devolveram o que foi tirado antes, comprovando o roubo, que eles preferem chamar de "equívoco".



Agora vamos falar de Tim e Claro. A Tim é bem fácil de explicar, porque o roubo foi bem descarado e direto. Eles repentinamente debitaram do meu saldo pré pago a quantia de 3 reais aproximadamente, de um serviço semanal chamado Jet Chat que eu nunca assinei. E ainda tiveram a cara de pau de mandar os "parabéns" pela renovação de assinatura. No total eles debitaram esse valor por 3 vezes e eu precisei solicitar cancelamento nas 3 e ainda formular denúncia na ANATEL para evitar novos débitos não autorizados.

Quanto à Claro, tive problemas com um modem 3G, em 2009. o aparelho simplesmente não funcionava de modo algum na minha casa, só conectava à noite, nas madrugadas, e olhe lá... demoraram um mês para admitir que a antena responsável pela cobertura na região estava sobrecarregada e não daria conta de fornecer as conexões que eu esperava. Me dando a opção de cancelar o plano e estornar o valor do modem, ou aguardar isento de parcelas até que eles solucionassem a questão da cobertura. Claro, optei por cancelar. Confiança e tolerância zero nestes casos.



Enfim, foi isso que aconteceu e é por essas e outras que não confio nas nossas operadoras de telecomunicações. A regulamentação, a fiscalização e a proteção que a ANATEL deveria nos oferecer, inexistem. Por isso elas pintam e bordam. E como a política de mal serviços, conforme observamos, está em todas, nós não temos escolha. Precisamos usar, mas precisamos ter cuidado.

Já não basta um governo desequilibrado, que não consegue se conter do impulso de nos passar a mão em impostos cada vez mais vultosos para cobrir despesas que não dizem respeito à população. Não bastam os senadores, deputados, vereadores, assessores e demais opressores, que sugam, mamam, aniquilam nossos rendimentos mensais, com fortunas para bancar suas vidas de luxo.



Somos obrigados a conviver com estes serviços de telecomunicação, prestados por operadoras assim, que nos fazem sentir como quem convive com um ladrão, um cleptomaníaco sob seu teto. Todo cuidado é pouco!