2 de junho de 2012

Diretor do "Pânico" diz que programa está triste com proibição de Silvio Santos


Alan Rapp - diretor do "Pânico na Band"

O diretor do "Pânico na Band", Alan Rapp, lamentou a decisão judicial que proíbe o programa de se aproximar de Silvio Santos, divulgada na noite desta sexta-feira (1º). Ele comentou o fato em seu perfil no Twitter neste sábado (2): "Todos do #PanicoNaBand estão muito tristes com o SS [Silvio Santos]. Sempre fomos parceiros, sempre demonstramos nosso carinho pelo Mestre SS", disse.

Ao final da mensagem, Rapp questiona o apresentador: "Pq, SS, pq? :(".

Segundo decisão, proferida pelo desembargador Vito Guglielmi, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, nenhum dos integrantes do "Pânico" poderá se aproximar de Silvio Santos. A distância máxima de aproximação é de 100 m. Além disso, o programa também não poderá fazer a imitação do dono do Baú, feita por Wellington Muniz, o Ceará.

A ordem se estende à toda a Band, que está proibida de "perseguição, do cerco e do constrangimento à participação [de Silvio Santos] em seus programas". Todas as características do apresentador, como as referentes às caricaturas, e a captura, utilização e exibição de imagens também foram proibidas sob pena de multa diária de R$ 100 mil, de acordo com informações de matéria publicada no site "Na Telinha".

O motivo da ação teria sido um aborrecimento com uma dublagem de Silvio Santos feita na atração. O programa colocou na boca do apresentador um palavrão que ele não teria dito.

As relações entre Silvio Santos e o "Pânico" não andam bem desde a transferência deles para a Band, ocorrida em fevereiro. A alta cúpula do SBT demonstrou surpresa e descontentamento ao saber da mudança, afinal sempre foi um desejo do canal contar com os humoristas em sua grade.

O "Pânico" ainda pode recorrer da decisão. Procurada, a Band disse que não irá comentar o caso, pois não se pronuncia sobre casos de justiça, segundo sua assessoria de imprensa.

UOL / Televisão - São Paulo.