30 de junho de 2010

Pagando para se sujar

Tem gente que fala besteira no Twitter e depois tem que se explicar fora dele. Mas também tem o contrário.

Acompanhe o caso a seguir:

Copa do Mundo FIFA, 28 de junho de 2010, Brasil x Chile.

Extra - patrocinador oficial da seleção brasileira (Grupo Pão de Açúcar - GPA).

Como de praxe em grandes momentos esportivos do país, foram preparadas propagandas para o que viesse pela frente, derrota ou vitória. O resultado do jogo foi vitória brasileira e consequente classificação para a fase seguinte, mas alguém viajou no mundo de Bob e 'tascou' no jornal Folha de São Paulo a versão errada do anúncio, aquela feita para o caso de derrota do Brasil para o Chile.

Aconteceu o seguinte: o anúncio, muito criativo por sinal, dizia: A I qembo le sizwe sai do Mundial. Não do coração da gente. I qembo le sizwe = A seleção - idioma africano Zulu. Ou seja, "A seleção sai do Mundial. Não do coração da gente."

Podemos dizer que foi o anúncio certo na circunstância... errada não define o tamanho do problema, talvez erradíssima. Um baita de um vexame, um tiro pela culatra, pareceu uma brincadeira de mau gosto. Não foi, mas pareceu.

Mas, quem tem Twitter não precisa de assessoria de imprensa. O empresário Abílio Diniz, presidente do Grupo Pão de Açúcar, ao qual pertencem os supermercados Extra, utilizou o micro blog para se redimir em nome de todo o grupo, usando as seguintes palavras:

1º: "Estou ao lado dos que se indignaram com o anuncio publicado erroneamente pelo jornal."
2º: "
Não compartilhamos com a impunidade e tomaremos as providências, que não eliminarão o erro, mas irá responsabilizar os culpados."
3º: "
Como Pres. do Conselho de Adm. do GPA peço desculpas, em meu nome e do Grupo, aos brasileiros e, principalmente, aos jogadores da seleção."

Prontinho. Três 'tuitadas' e está safo! Ou não...

Agora eu me pergunto: que anúncio o Extra fará se o Brasil for eliminado pela Holanda, nas quartas de final? Segue a minha sugestão:

"Laranja em promoção para comemorar nossa vitória! Extra. Pode não estar mais no coração, mas não vai sair da sua cabeça."