5 de maio de 2010

Nem tudo é tão ruim

Eu estava prestes a fazer o maior desabafo de todos os tempos (o que não significaria muita coisa para o mundo, já que estaria partindo de um simples João Rocha), mas resolvi voltar atrás.

O desabafo seria em cima das mazelas que andam aparecendo 'aí' por todos os lados. As porcarias de músicas, de filmes, novelas e tudo o mais. Eu queria entender se essas coisas estão ruins por ser um reflexo da sociedade, ou se a sociedade está ruim por ser um reflexo dessas coisas.

Mas, deixando isso de lado, se não eu acabo mesmo continuando o desabafo, vamos ao porquê de desistir de fazê-lo:

Eu entendi que Deus não nos deu o direito de perder esperanças na vida. Se Ele nos deu a oportunidade de exixtir e espera de nós algo bom, não há porque acreditar que não dá mais para acreditar. Mesmo com músicas piorando ('pornografando e violentando'), o mesmo acontecendo com filmes, novelas e até desenhos animados e depois passando para a vida real com cada vez mais frequência, não é hora de jogar a toalha. Ao contrário, é hora de lutar mais pelo bem.

Vejo que muita gente ainda faz isso, luta pelo bem, apresenta uma incansável vontade de que ele prevaleça. Proponho-me a fazer minha parte e não desistir; proponho mais: que você também faça. Não custa nada! Não valorizar programas de TV, músicas e filmes que deturpam mentes, já é um passo importante. Valendo?

Afinal, nem tudo é tão ruim... Existem coisas boas também, muitas ainda esperam ser mais valorizadas, se encaixam naquele ditado: "Uma árvore que é derrubada, faz muito mais barulho do que uma floresta inteira que é plantada." Vamos enaltecer os bons.