16 de fevereiro de 2010

Para que serve o carnaval?

Serve para não ter que ir à faculdade e ganhar uma folga no trabalho. Esta é a minha concepção de carnaval. Contudo, obviamente é a concepção de uma minoria esmagada, basta ver a intensa movimentação que acontece em cada esquina e a mobilização da mídia para transformar este momento em um dos mais importantes do ano.

Nem vou me apegar ao que acontece nos "grandes centros carnavalescos" como Salvador e Rio de Janeiro, pois a pequena amostra do que acontece aqui, na pacata João Pessoa, já nos dará uma ideia do que se passa na cabeça de muita gente nessa época. Reflita: uma só noite, uma blitzen no final de uma rua resulta em dez motoristas flagrados no bafômetro, sendo oito presos encaminhados a delegacias e dois notificados.

Volta a pergunta: para que serve o carnaval? Seria para sair de si, esquecer que tem problemas, mas ao mesmo tempo esquecer que tem soluções, parar de trabalhar em cima delas e buscar nas drogas lícitas ou ilícitas uma nuvem que recubra as mazelas? As respostas, assim como as perguntas, são múltiplas. Certamente, a maioria das pessoas não está inserida neste contexto tão negativo, mas neste caso a intenção do blog é ser crítico (e a crítica não se faz em cima do que está certo), foca no que está errado. O intuito é promover uma reflexão serena.

Pessoas que se deixam levar pelas bebidas alcoólicas ou por qualquer tipo de droga, perdem a lucidez momentaneamente; abandonam a racionalidade e colocam em risco a tranquilidade e até mesmo a segurança alheia. Prova da perspectiva de problema que trás o álcool é a penalidade imposta a quem o ingere e vai dirigir: apreensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), multa de R$ 955, pagamento de fiança e perda do direito de dirigir por 12 meses.

Se mesmo com toda a punição dedicada aos desobedientes alcoólatras do trânsito, o resultado de uma blitzen ainda é assustador, imagine o que acontece com a sexualidade dos fanf... foliões durante este período, quando o governo (em todas as esferas) distribui preservativos, como se dissesse "Pronto. Vai lá e transa". Um método de prevenção que minha compreensão racional não alcança.

Por toda a bagunça, por todo o desrespeito e toda a mancha que o carnaval deixa na imagem do brasileiro lá fora, deixo esta postagem como a marcação da data 16/02/2010, dia de carnaval.

1 de fevereiro de 2010

Mais ruim = Mais atrativo?

Não vale para produtos numa loja, não vale para o trabalho realizado no dia-a-dia, mas vale para a música e alguns programas de TV.

Por que as músicas ruins são tão bem aceitas? Por que os piores programas da TV estão crescendo sem parar? Não me conformo com os sucessos que têm estourado por aqui ultimamente, não vou citar nomes, mas são vários. Só isso.