21 de dezembro de 2009

?!

Sem palavras que descrevam a dor de perder alguém especial. Comentei as mortes de Herbert Richers e de Lombardi, com a tranquilidade de quem nunca chegou diante de nenhum dos dois, mas agora que tive uma perda ao meu lado não tenho a menor estrutura para comentar qualquer coisa que seja.

Aos 38 anos se foi minha tia Gorette (tia e amiga). Poucos dias atrás, escrevi que apesar do Lombardi não ser próximo a mim ele merecia uma postagem, portanto, ela merece até demais. Mas realmente agora não dá. É difícil assimilar a situação da morte... Parece que uma mancha escura envolve a vida de quem fica, tirando o brilho e a graça de existir.

Resta agora esperar que Deus venha novamente iluminar a quem fica (e acolher a quem vai).

E ainda resta uma pergunta: cadê o chão?